sábado, 24 de agosto de 2013

SOBRE POESIA

 
 
Esforça-te pelo verso?
Não o faças.
Independe ele de tua vontade.
E virá nos desvãos de tuas virtudes,
Afrontando teus códigos morais
Imersos na poeira do desuso.

Pensas que seja imperativa a tua decisão?
Pois, esforça-te em vão, engana-te.
Tua altivez é inócua na poesia
Porque o poema se faz por vias que tu desconheces,
Pela estrada da desesperança que recusas trilhar,
Nos vazios espontâneos entre duas matérias.

Todavia, atentai para esse instante
Em que chega a poesia como revelação
Visível nas sombras do caminho, do tempo
E, apressa-te, corres e o inscreve na pedra
Pois o poema não acontece duas vezes.

Adão Lima de Souza
Do livro A Vela na Demasia de Vento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário